História dos Povos da Antiguidade

20 de jul. de 2014

A Odisseia

A Odisseia de Odisseu é considerada uma das melhores obras de todos os tempos, ao lado Ilíada – que desempenha o papel de base para a construção da narrativa.

A Odisseia foi produzida por Homero, um dos expoentes da poesia na Grécia Antiga. A obra é um marco para toda a cultura mundial, e se desenrola perpetuamente por todo o mundo, gerações, estudos, aprofundamentos, desmembramentos por várias escolas, além de inúmeras reflexões realizadas por intermináveis autores.

A Odisséia de Odisseu
Homero, nascido no século XIII a.C., e disputado por sete cidades que alegam terem sido seu berço de nascença, relata a saga de Odisseu, também conhecido por Ulisses que, depois de vinte anos distante de casa, espera retornar a seu lar para reencontrar sua esposa Penélope, seu filho Telémaco e seu pai Laertes. Uma verdadeira odisseia que se inicia quando Odisseu resolve partir para a Guerra de Troia, grande conflito entre gregos e troianos, deixando todos seus familiares apreensivos durante duas décadas na cidade de Ítaca, terra natal de todos eles.

A obra é taxada como a estupenda demarcação da literatura ocidental e, inicialmente, foi construída apenas em sua forma oral, por meio de 24 cantos, no povoado de Jônia, onde hoje se situa o país da Turquia, à época era povoado por gregos, quase que em sua totalidade. Flagrada positiva também por fornecer papeis principais a mulheres e escravos, e não apenas a heróis mitológicos, algo corriqueiro durante esse período.

A viagem de Odisseu

Por única e exclusiva vontade, Odisseu resolve partir rumo à Guerra de Troia, um duelo que não o afetava diretamente. Deixa esposa, filho, pai e demais familiares numa espera que parecia ser eterna, pois a cidade de Troia tinha todos os ingredientes para lhe tomar a vida. Odisseu até obtém a honra de conseguir sair ileso da guerra, embora mais dez anos ainda fossem necessários para que ele conseguisse retornar à sua terra de origem. Desses 10 anos, repletos de batalhas heroicas e percalços vividos por Odisseu, sete deles foram vividos num cativeiro na Ilha de Calipso.

Tudo começa na primeira tentava voltar a sua terra natal, Ítaca. Uma tormenta o atrapalha e altera absolutamente seu rumo. A obra, portanto, se baseia precisamente no pós-guerra e não nela necessariamente. Ou, mais precisamente, nesses dez anos que geraram até mesmo um sentimento utópico que Odisseu, algum dia, pudesse retornar ao lar. A trajetória notável de Homero é conta nos mínimos detalhes e as análises do mundo afora, figura de linguagem costumeiramente praticada nos dias atuais, não eram utilizadas até então.

Enquanto isso, em Ítaca, uma curiosa tradição começa a se desenrolar. Era obrigatório que uma mulher, quando se desse por viúva, tivesse a incumbência de procurar outro marido para viver o resto de seus dias. Como Odisseu já era considerado como uma das vítimas da guerra, o concurso pela mão de Penélope começava a se desenhar. Foram exatos 108 pretendentes que, no período que antecedia a escolha de Penélope, dividiam os espaços da casa com os demais familiares, proporcionando uma balbúrdia generalizada nos aposentos de Odisseu, fato que incomodava Atena, a deusa da sabedoria, que desempenhava um papel de conselheira da família.

Atena ajuda Odisseu

A participação de Atena, no conjunto da obra, é quem dá números finais ao relato. É ela quem intervém na situação e encoraja Telémaco a ir procura de seu pai. Com muita astúcia e exacerbada sabedoria, que lhe era peculiar, traça um plano para que Telémaco consiga dar início a sua missão, enquanto sua mãe tenta, de todas as formas, dispersar os pretendentes de sua mão, retardando ao máximo sua escolha.

Quando Telémaco parte em busca de seu pai, Odisseu, milagrosamente, já traçava o caminho inverso, após conseguir persuadir Calipso, em sua própria ilha, através dos ensinamentos de Hermes, o mensageiro dos deuses.

O caminho de Odisseu na volta à casa o levou até mesmo à Terra dos Mortos, onde se depara com o espírito de sua mãe, que havia morrido de desgosto com o sumiço do filho. Ela o relata como estava a situação de Penélope e seus pretendentes, e isso e o encoraja ainda mais a seguir viagem.

No retorno à Ítaca, Odisseu se disfarça de várias formas até ser reconhecido por uma das caseiras da casa. Logo após, é submetido a um desafio com os pretendentes de sua esposa, conseguindo a proeza de assassinar todos eles. A paz estava de volta no povoado de Ítaca. Mais uma vitória da sabedoria de Atena.

Termina assim a grande viagem contada pelos gregos antigos, a Odisseia vivida por Odisseu.

0 comentários:

Postar um comentário

Regras para comentários:

Todos os comentários são lidos e moderados previamente.
publicamos somente os comentários que tenham relação com o assunto da postagem.

Parcerias, Dicas e Sugestões entrar em Contato pelo Email: civilizacaoantiga@hotmail.com

Civilização Antiga © Copyright - Todos os direitos reservados.

Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização prévia. Só é permitida a reprodução para fins de pesquisas e trabalhos escolares.

Plágio é crime (Artigo 29 Lei 9.610/98)